Reclamação criativa!

muitas coisas mudam na vida. na minha então, nem se fala! só uma que não muda, continuo duro e andando de ônibus.

com isso, continuo também a observar as criaturas e personagens que só esse sistema falido de transporte cria para a nossa parca alegria de todo final de dia de trabalho. muito lesco-lesco para lhes dizer que tenho mais um episódio fresquinho ocorrido em ônibus:

calor de 42º no rio de janeiro, 18:37 da tarde, ônibus lotado e sem ar condicionado, ponte engarrafada como de costume e uma criatura no meio do coletivo falando ao telefone gritando como se estivesse sozinha e não houvesse amanhã.

o assunto, interminável diga-se de passagem, era a marcação de um churrasco na casa de rita. sua suposta amiga. rita selecionou um grupo reduzido de pessoas para ir ao dito evento e excluiu outros. logo, esses que foram excluídos começaram a ligar para ela perguntando da festividade em sua casa no final de semana. a parada teve fofoca! ela, rita, muito amiga da passageira que estava no veículo ingrato, ligou para a referida pedindo sugestão de como solucionaria a apresentada situação. é meus caros leitores, este que vos escreve e TODOS os passageiros participamos de toda a história de rita e seu churrasco para poucos.

para encurtar a história, e ir logo ao fato que me obriga fazer você perder o seu tempo em ler sobre o drama de uma tal de rita, no meio da exposição de duvidosos ítens sugestivos para solucionar o caso, levanta uma senhora aparentando uns 50 anos, muito bem vestida e educada. vai pedindo licença aos inúmeros sofredores que estavam em pé, chegou a frente da mau educada, tirou o telefone da sua mão e começou a falar:

“Rita minha querida. Para o bem de todos que aqui estão, bem que você poderia tentar resolver o problema de sua festa em outro momento. Pois, a mãe da sua amiga, não a ofereceu educação suficiente para o suave entendimento que ninguém presente nesse quente ambiente tem haver com sua festinha. Alémais, se ela continuar gritando desse jeito ela vai tomar um tapa na cara que sua displicente genitora devia de ter dado faz tempo. Tá bom? Desliga o telefone para a titia agora, e converse mais tarde com esse estrume escandaloso que você chama de amiga…”

isso tudo alto, para que todos pudessem escutar. não sabemos se rita ouviu todo o texto, mas realmente ela não era o destinatário final da bronca bem dada.

os passageiros? se acabavam de rir, alguns batiam palmas, outros nada entendiam…

este que vos escrevem? de olhos arregalados e feliz pela cortesia de boas maneiras oferecida por aquela senhora enviada pelo divino…

e a mal educada? estarrecida, envergonhada, sem uma gota de reação. se não estivesse no meio do vão central, ela teria descido ali mesmo. mas não. teve de aturar aquele papelão até chegar em terras niteroienses. um verdadeiro vexame…

após o momento de catarse coletiva, pano branco rápido. silêncio e constrangimento total.

fale baixo no telefone celular hein?!?!?!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s