chacrinha.

o último especial em homenagem aos falecidos da globo, deixou vítimas desavisadas em seus estúdios de gravação. uma amiga querida (lá vem ele com essas amigas misteriosas), de olho na furtuna do cachê – R$45.00 quarenta e cinco reais – que a tv carioca prometera para figuração no tal especial passou maus bocados nas bandas do projac.

a olhuda pegou o frescão para jacarepaguá às 5 da manhã de um sábado chuvoso de início de outono. após umas horas sentada e já de pandero dormente, a danada finalmente chega aos estúdios com mais 70 insadecidas a fim de comer de graça e aparecer por alguns segundos na televisão. levanta o braço, levanta o braço… assim gritava um diretor histérico quando as pobres vítimas desciam do coletivo… parecia assalto. é só ensaio gente, é só ensaio!!!! sabendo que essa será a posição que ficarão a maior parte do tempo que aqui estiverem (?). sem entender nada, nossa esperta foi correndo para o café já belamente posto em uma linda mesa no hall do pedaço. geléias, pastas, pães, croissants, frutas, muitas frutas, tinha até jaca. não é necessário informar que a moça provou de um tudo né…

passada a comilança, vamos ao trabalho. nessa hora, passa na cabeça da dita aquela sensação de felicidade momentanea com a silenciosa e refrescante frase: “me dei bem”. ela não tinha idéia do que estava reservado para as próximas 12, eu disse 12 (doze) horas seguintes ao bom sintoma acima dito.

uma ridícula placa com uma curiosa estrela para segurar toda vez que o histérico diretor gritava rodando, 38 pacotes de confetes em seus pés para jogar para o alto,  sorriso de feliz que em hipótese alguma poderia ser esquecido, e quilos de maquiagem no rosto… pois segundo a maquiladora-assistente: “pros córnus não brilhar”.

as primeiras duas horas foram fáceis… afinal gravar um especial do chacrinha é bem leve. assim pensava a coitada… devia de ser com ele vivo, mas com um sósia cabeção que errava toda vez que entrava sua imagem. segundo a já arrependida menina o dublê do falecido errou sua entrada, sem falas, umas 30 vezes deixando toda equipe e figuração p da vida. a tal placa com a estrela pesava uns 2,5kg, o lanche acabou e a produção só liberava água e biscoito globo, já passavam das 3 da tarde as chacretes semi-nuas começaram espirrar e reclamar da friáca, nossa aventureira tomou um esporro do contra-regra pois estava dormindo em cima de uma placa no depósito da tv xuxa, o maquiador chefe cismou com um sinal abaixo do olho da moça, nessa hora a figurante mais azarenta do pedaço não aguentava nem levar o braço a seus olhos para aliviar uma coceira, de tanta dor que a bicha sentia ao ter levantado placa com estrela o dia inteiro.

moral do drama após um dia por 45,00 reais: a coitada contraiu LER (lesão por esforços repetitivos).

sic.

Anúncios

Um Comentário

  1. Pri

    Meu sonho é conhecer essas AMIGAS que só vc tem…..

    A coitada ainda contraiu LER….rsrsrsrs

    Como vc ainda não postou a história do cheque p/movimentação da conta corrente aqui?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s